SEXAGEM FETAL

Determinação do sexo do bebê a partir da 8º semana de gestação com resultados liberados em 7-9 dias úteis. Realizado a partir de uma amostra de sangue materno. É baseado na detecção de fragmentos do cromossomo Y circulantes no plasma da mãe. Como esses fragmentos são exclusivos dos indivíduos do sexo masculino, a presença desta fração no sangue da mãe, indica a gestação do sexo masculino, enquanto que sua ausência, indica sexo feminino.

A Sexagem Fetal apresenta 99% de sensibilidade a partir da 8ª semana completa de gestação, enquanto o Ultrassom (US) alcança precisão semelhante ao teste molecular somente próximo a 13ª semana de gestação. Por isso, podem ocorrer divergências entre o US e o teste molecular, dependendo do período que os exames estiverem sendo comparados.

Em aproximadamente 5% dos casos, o resultado pode ser inconclusivo. Isso pode ocorrer devido a limitações na técnica ou possíveis interferentes na amostra, como o uso de medicamentos anticoagulantes a base de heparina*. Neste caso, será necessária uma nova coleta após o período de 15 dias para repetição do teste na nova amostra.

Da mesma forma, resultados discordantes podem ocorrer devido à quantidade de DNA fetal circulante insuficientes no momento da coleta e qualidade da amostra, levando a resultados falso-femininos, enquanto que transfusões de sangue recebidos pela mãe, transplante de órgão proveniente de um homem podem levar a resultados falso-masculinos.

Este exame não detecta alterações genéticas no feto e também não tem 100% de acerto dos casos. Como qualquer outro teste biológico, o teste molecular apresenta limitações que podem levar a uma intepretação inadequada do teste, o que é esclarecido com a repetição do ensaio em nova amostra. É solicitada nova amostra após serem encontrados resultados discrepantes por 2 vezes em ambos os tubos (repetição).

No caso de gestação gemelar, o teste de sexagem fetal consegue identificar ambos os sexos quando os gêmeos são univitelinos, pois ambos compartilham o mesmo sexo. Por outro lado, para gêmeos bivitelinos (presença de duas placentas) com resultado masculino, o teste indica a presença de pelo menos um menino, não podendo esclarecer o sexo do outro feto. A ausência de DNA masculino (univitelina ou bivitelina), indica que ambos os sexos dos fetos são femininos